Calendário Sexta 24/11/2017 12:11:18






CADASTRE-SE PARA PARTICIPAR

  E-mail:  
  Senha:  
Cadastrar como Usuário!
Cadastrar como Consultor!
Esqueci minha senha!
E-mail de Ativação!
   



Publicidade: Anuncie aqui
 







Resumo de monografia

Resumo enviado em 03/07/2012 01:05:00 por NARCISO MAURICIO DOS SANTOS
Mulheres na docência da Educação Física escolar: olhares e desafios nas questões de gênero e estereótipos.
Resumo:

Ter a docência como base de sua identidade seria o ideal ao profissional ligado
a educação, onde, independente desse item como requisito, teria ainda que
dominar bem o conhecimento específico de sua área de atuação, articulado aos
conhecimentos pedagógicos e práticos para exercer sua função. Sendo assim, a
formação do professor, precisa intencionalmente possibilitar de maneira geral e
especifica, seu desenvolvimento como pessoa, profissional e principalmente
cidadão. Depois destas primeiras aproximações, exponho uma discussão que
complemente o tema até aqui revisto, discorrendo com mais intensidade e
objetividade sobre a formação e docência do profissional de Educação Física,
seja na licenciatura ou bacharelado e as relações de gênero que permeiam esse
campo durante seu trajeto, tendo em vista que a área carrega em sua história,
uma herança enraizada no perfil militar, onde o processo formativo se remetia
especificamente numa estrutura de dois anos com ênfase nos aspectos biológicos e
técnicos, ou seja, conhecimentos sobre o corpo humano e os relacionados às
ginásticas e aos esportes, tudo isso caracterizando a figura masculina como
prioridade nos cursos. Nesta perspectiva, cabe ainda recordar que o processo
para formação inicial de profissionais de Educação Física no Brasil,
encontrava-se ligado à Marinha, à Força Pública e principalmente ao Exército,
onde, estes órgãos se apropriavam de diferentes Métodos Ginásticos para a
efetivação dessa formação, ou seja, uma educação de caráter especificamente
técnico e prático. Neste contexto, é que surge em 1933, com o Decreto Lei nº 23.
252 a Escola de Educação Física do Exército, no Rio de Janeiro, com nova
organização e com os currículos e objetivos atualizados. No âmbito deste
contexto, os objetivos desta pesquisa tiveram como ênfase (a) Pensar sobre o
corpo e as práticas educativas da Educação Física Escolar direcionadas por
professoras (sexo feminino) e suas possíveis relações na construção dos
estereótipos masculinos e femininos. (b) Averiguar e apontar como que os corpos
são construídos sob o olhar de referências, atributos e culturas advindas das
relações de gênero. (c) Investigar se as questões de gênero imbricadas no campo
dessa formação profissional, até por conta da herança militarista que a Educação
Física carrega, tem relevância para a criação de estereótipos
masculino/feminino, tendo em vista através de dados teóricos que a área possui
uma forte tendência a masculinização. Assim, a pesquisa teve como eixo
metodológico, um estudo descritivo de análise qualitativa com técnicas de
entrevistas semi-estruturadas para a obtenção de dados empíricos; neste caso
específico priorizaram-se somente professoras de Educação Física que atuam
diretamente nos quatro níveis escolares (educação infantil, ensino fundamental
I, ensino fundamental II e ensino médio), e também algumas observações de aulas
das mesmas. O foco nas entrevistas emergiu com as seguintes problemáticas: - A
escola e as práticas educativas da Educação Física escolar contribuem para
reforçar os estereótipos masculinos e femininos? - Como que as professoras de
Educação Física percebem suas práticas educativas, lecionando para meninos e
meninas? Pensando nas questões destacadas, o referencial teórico se valeu dos
escritos sobre gênero, da crítica teórica feminista e das atuais publicações na
área da Educação e especificamente da Educação Física escolar para justificar os
possíveis apontamentos investigados. As contribuições da pesquisa pautaram-se na
apresentação de dados sustentáveis que reforçam a importância da discussão sobre
questões de gênero no espaço escolar, prioritariamente na formação e durante a
docência da profissional de Educação Física, pois denunciam preferências em
trabalhar o masculino pensando nos resultados alcançados.



Palavras-chave: Educação Física escolar. Formação. Docência. Práticas
educativas. Gênero. Estereótipos.



Autor:
  NARCISO MAURICIO DOS SANTOS
  narcisomauricio@bol.com.br
Instituição:
  UMESP/NEPEF-UNESP-Rio Claro - BAURU (SP)
Outras informações:
  O trabalho em locus foi apresentado no SEPEF 2010 na UNESP de Bauru-ano de 2010.

Narciso Mauricio dos Santos
Universidade Metodista de São Paulo – UMESP /SP
Orientadora: Dra. Jane Soares de Almeida


Termos de participação | Política de privacidade | Perguntas mais frequentes

|::::  Cooperativa do Fitness - Todos os direitos reservados ® BH - MG - Na internet desde 05/12/1999 ::::| Construído pela Casa de Bytes