Calendário Quinta 27/04/2017 12:04:07






CADASTRE-SE PARA PARTICIPAR

  E-mail:  
  Senha:  
Cadastrar como Usuário!
Cadastrar como Consultor!
Esqueci minha senha!
E-mail de Ativação!
   



Publicidade: Anuncie aqui
 







Resumo de monografia

Resumo enviado em 03/07/2012 00:56:15 por NARCISO MAURICIO DOS SANTOS
A FORMAÇÃO PROFISSIONAL EM EDUCAÇÃO FÍSICA NA PERSPECTIVA DE GÊNERO: DO PASSADO HISTÓRICO AOS DIAS ATUAIS
Resumo:

Formar profissionais para a Educação é um assunto polêmico e estudado por muitos
autores (as), dentre eles (as), Alarcão (1996), Fischmann (1986), e Gatti
(1997), onde expõem direcionamentos para a proposta nos seus conteúdos. Também
indicam necessidades emergentes pensando na formação de um profissional de
caráter amplo, pleno domínio e compreensão da realidade do seu tempo, com
tendências a uma consciência crítica reflexiva, permitindo interferir
significativamente, transformando situações inusitadas na escola, no cenário
educacional, e na sociedade. Sendo assim, a formação profissional do professor,
deve possibilitar de forma geral e especifica, seu desenvolvimento como pessoa,
profissional e cidadão. Para a formação em Educação Física, tanto na
licenciatura ou bacharelado, as relações de gênero que permearam esse campo
durante seu trajeto até os dias atuais, denotam uma atenção redobrada, pois o
processo se remetia numa estrutura de dois anos com ênfase nos aspectos
biológicos e técnicos, ou seja, conhecimentos sobre o corpo humano e os
relacionados às ginásticas e esportes, e isso, caracterizando a figura masculina
como prioridade aos cursos. Lentamente, estudos sobre gênero exigem descrições
minuciosas e passam a incorporar explicações acerca do lugar e das relações de
homens e mulheres numa sociedade, analisando não apenas seus sexos, mas tudo
aquilo que socialmente se constrói com base nesses aspectos, e como isso pode
interferir nestas construções sociais. Considerando esses pressupostos, este
trabalho de pesquisa tem como objetivos, investigar e contextualizar as questões
de gênero que envolveu e direcionou a formação acadêmica de professoras de
Educação Física, cada qual em seus cursos e épocas distintas. Na busca de
respostas e argumentos para esclarecer questões em torno da formação
profissional e relações de gênero, a pesquisa foi realizada com professoras que
lecionam Educação Física para a Educação Infantil, Ensino Fundamental I, Ensino
Fundamental II e Ensino médio. Assim, priorizou-se entrevistar três de cada
modalidade de ensino, totalizando doze, vinculadas a escolas estaduais e
municipais da Baixada Santista/SP. Nesta perspectiva, escolheu-se como
procedimento metodológico o estudo descritivo com análise qualitativa através de
entrevistas semi-estruturadas. Portanto, considerou-se necessário analisar as
concepções de gênero que conduziu a formação dessas professoras, pois
acredita-se perpassar por um processo histórico e social. Os Resultados
demonstraram com base nos depoimentos, que as diferenças entre o masculino e o
feminino sempre vão existir e não podem ser negadas, mas neutralizadas com ações
formativas pedagógicas. Daí a necessidade de uma formação acadêmica
privilegiando tais anseios. Constatou-se a necessidade de estudos relacionados
às questões de gênero associando-os aos conteúdos da Educação Física na escola e
em seus sub campos. Observou-se também, a importância em fortalecer questões
desse âmbito na formação acadêmica, principalmente para os cursos onde o ponto
de partida e chegada é a área escolar. Para finalizar, destaca-se deixar claro
aos professores, de modo geral, em suas reflexões e habilidades, que as práticas
educativas e o esporte dentro da escola como conteúdos, explicitam valores
sexistas, neste caso prevalecendo à figura masculina, com isso, precisando
urgentemente ser trabalhado nas reflexões após as aulas, onde a figura feminina
se faça presente. O convívio com o outro sexo é inevitável e muitas vezes essa
relação é conflituosa e desigual, tanto por parte dos professores (as), como dos
alunos (as), no entanto, não devem ser vistos como obstáculo. Precisam vir à
tona, ser discutidos de igual para igual, mesmo que as diferenças existam.
Portanto, é preciso olhares atentos as questões ligadas ao gênero,
principalmente no perfil formativo dos (as) novos (as) profissionais que atuarão
no contexto da escola.



Autor:
  NARCISO MAURICIO DOS SANTOS
  narcisomauricio@bol.com.br
Instituição:
  UMESP/NEPEF-UNESP/Rio Claro - FLORIANÓPOLIS (SC)
Outras informações:
  O referido trabalho foi apresntado na Universidade Federal de Santa Catarina na data de 17/05/2012 no evento intitulado SEPEF, cujo tema central intitulou-se:

Formação Profissional e Campo de Trabalho na Educação Física - Formação inicial, continuada e intervenção profissional.

O trabalho encontra-se na integra no livro:
A EDUCAÇÃO FÍSICA E SEUS DESAFIOS: FORMAÇÃO, INTERVENÇÃO E DOCÊNCIA.

Organização: Samuel de souza Neto; Dagmar Hanguer e Alexandre Janotta Drigo.
Editora CRV - Curitiba - Brasil, 2011

Páginas: 39-55



Termos de participação | Política de privacidade | Perguntas mais frequentes

|::::  Cooperativa do Fitness - Todos os direitos reservados ® BH - MG - Na internet desde 05/12/1999 ::::| Construído pela Casa de Bytes